Olá, eu sou o Professor Samurai e hoje lhes trago minha primeira review, sobre JoJo’s Bizarre Adventures, especificamente a parte 1, Phantom blood. Vamos aos critérios.

A história começa em Liverpool, Inglaterra, 1880 com o jovem Jonathan Joestar, conhecido por seus amigos como JoJo, vivendo com o pai rico George Joestar. Outro jovem, Dio Brando, é adotado por eles, que havia perdido recentemente seu pai, Dario Brando. George acredita que ele e seu filho recém-nascido foram resgatados por Dario durante um acidente de carruagem, em que sua mulher perdeu a vida, quando na verdade Dario estava tentando saquear os cadáveres. Jonathan tenta fazer amizade com Dio, sem saber de seu plano para levá-lo em descrédito e ganhar a confiança de George para que ele possa se tornar o único herdeiro da fortuna Joestar.

 

Phantom Blood foi um ponto de partida para a história de JoJo. Criado por Hirohiko Araki em 1987 e publicado pela Shueisha na Weekly Shonen Jump, o mangá teve um total de 5 volumes com 44 capítulos e em 2007 teve um filme (muito mal adaptado), mas em 2012, finalmente, uma boa adaptação foi apresentada. Phantom Blood se passa nos primeiros 9 episódios do anime, com muita ação, aventura, sobrenatural e horror. (Lembrando que JoJo tem várias referências da cultura pop, futuramente eu talvez faça um post, mostrando algumas)

Volume_1

Capa do Volume 01

JoJo me apresentou algumas coisas que sentia falta nos mangás de hoje, como uma boa história sem precisar forçar o tal ecchi “fodido” pra ganhar leitores. Mesmo que fique visível o protagonismo no Jonathan, isso fica bem abaixo se for comparar com o Natsu de Fairy tail, Ichigo de Bleach e outrs nomes do gênero. Ao meu ver, Phantom Blood foi um ponto de partida da saga, mas esse ponto de partida foi necessário para ter o que temos hoje. De longe Phantom Blood não é a melhor história e apesar de Jonathan não ser o melhor JoJo, tudo cria uma linha de carisma que faz a obra ser algo único. 

Conclusão

Bem, espero que tenham curtido essa pequena leitura que eu fiz, nada demais, apenas fazendo comentários de fã que funciona mais como um desabafo.

Pela realização, Phantom Blood ganha 7,5, pela apresentação recebe um 8,0 e proveito pessoal eu darei um 8,5.

 

 

 

About The Author

Bruno Venicius

Um apreciador da cultura nipônica com uma vida dividida em meio de estudos e mídia visual e literária, que adora bastante, discutir sobre os mesmos.

Related Posts