nihei01

Mechas, motos espaciais, alienígenas, épicas cidades futurísticas, e conversar com ursos falantes perigosamente armados. Isso e muito mais são produtos da imaginação Mangaka Tsutomu Nihei. O criador de séries alucinantes de ficção científica como BLAME!, Biomega, e Knight of Sidonia foi um dos convidados especiais da San Diego Comic-Com International, em Julho de 2016 no sul da California.

Nihei, junto de Hiroyuki Seshita da POLYGON PICTURES, diretor do anime Knight of Sidonia, foram a San Diego para promover a nova grandiosa edição Master de BLAME!, publicada pela Vertical Comics, estrear o novo trailer do anime de BLAME! Além de mostrar também a nova edição limitada de G.I. Joe / Cobra Figure da 1000 Toys, desenhada por Nihei.

Ele também recebeu o prêmio “Inkpot Award” da Comic-Com, os organizadores que executam a San Diego Comic-Com e a WonderCon. Deram ao criador, o prêmio pela “contribuição ao mundo dos quadrinhos, ficção científica/fantasia, filmes, televisão, animação, e serviço aos fãs” o “Inkpot Awards” é uma honra para Nihei, que agora compartilha do mesmo com outras lendas dos, quadrinhos, filmes, e sci-fi como Osamu Tezuka, Moebius, e Ray Bradbury.

Tsutomu Nihei se sentou junto da “Anime News Network” para falar sobre o seu começo como um criador de mangás, como sua arte e roteiro evoluíram durante os anos, e como ele trabalha próximo ao diretor da POLYGON PICTURES: Hiroyuki Seshita (que é responsável pelo anime de Knight of Sidonia, que também foi junto para a entrevista) para contar a sua primeira história de BLAME! Rumo a animação em 2017. E sim, perguntaram a ele sobre o urso falante.

Então sem mais delongas, vamos para a entrevista:

niei04

De volta as origens: NOiSE, BLAME! e Nova York

Bem vindo a San Diego! Nós estamos muito ansiosos por ter você aqui!

Tsutomu Nihei: Eu estou muito feliz de estar aqui

Para começarmos! Esta nova edição Master de BLAME! Que a Vertical Comics está publicando – É realmente algo em que você poderá ver as artes em formato grande?

Tsutomu Nihei: Sim! Ela foi feita do mesmo tamanho de AKIRA.

A série originalmente é publicada nos Estados Unidos a mais de 20 anos pela TokyoPop em um formato bem menor. Será muito melhor poder ver a sua arte, em um formato de páginas bem maior do que as atuais paginas pequenas.

Tsutomu Nihei: Pessoalmente, eu não gostaria de ter as minhas artes vistas tão claramente. Eu não tenho certeza se gostaria de ter várias pessoas olhando tão de perto os meus desenhos! (Risadas)

É um trabalho relativamente inicial feito por você, certo?

Tsutomu Nihei: BLAME! É na verdade o meu primeiro trabalho publicado

Sério? Eu achei que NOISE veio primeiro (Uma pré seqüência de BLAME!, originalmente publicado pela TokyoPop)

Tsutomu Nihei: Na verdade, os eventos descritos em NOISE vieram antes do que acontece em BLAME!, mas eu desenhei BLAME! primeiro.

Nós fizemos uma pequena pesquisa sobre a sua carreira, e parece que você tomou um caminho bem interessante e incomum para se tornar um artista profissional de mangás. Você trabalhou com construção civil, você se mudou para Nova York para estudar, e ainda trabalhou em uma firma de arquitetura…

Tsutomu Nihei: Eu não diria que eu trabalhei como um arquiteto! (Risadas)

nihei03

Heh! Verdade, mas eu posso ver que essas experiências que você teve em trabalhar com construção e arquitetura influenciaram no seu mangá – os detalhes dos prédios, as enormes escalas de ajuste nas suas historias.

Tsutomu Nihei: Sim, é verdade, Eles tiveram influências nele.

Eu estava lendo alguns comentários sobre o seu mangá, e tinha algumas criticas sobre você ter criado um mundo muito completo e detalhado, que eles acabavam ficando perdidos nele.

Tsutomu Nihei: Eu procuro sempre desenhar coisas que não existem no mundo real.

O que fez você decidir sair do seu trabalho de construção, e se mudar para Nova York? Por que Nova York, ao invés de ficar no Japão?

Tsutomu Nihei: Depois de eu me demitir do meu trabalho de construção, eu comecei a me preparar para trabalhar como um artista de mangá no Japão durante uns anos. Quando eu decidi me tornar um artista de mangá, eu pensei: quem sabe eu não precise ficar no Japão ou até mesmo em Tóquio. Eu posso fazer isso em qualquer lugar: talvez eu possa fazer isso até mesmo em Nova York! Quando eu comparei o custo de vida entre viver em Tóquio ou viver em Nova York, pareciam ser os mesmos, então, por que não ir para Nova York?

O que você fez quando chegou em Nova York? Você foi para alguma escola de arte? Ou começou a trabalhar com um ilustrador?

Tsutomu Nihei: Eu fui para uma escola de artes – Eu fui para a Parsons School of Art and Design em Manhattan.

Você ficou em Nova York por quanto tempo?

Tsutomu Nihei: 11 meses

Wow. Eu achei que eu e você morava em Nova York por volta do mesmo tempo! Por volta de 1989? Eu cruzava a cidade inteira até a escola de artes.

Tsutomu Nihei: Huh! Não brinca! Você se lembra de Forbidden Planet? Ficou pra historia. Eles venderam quadrinhos americanos, figures, brinquedos e mangás Japoneses também. Eles tinham um monte de artistas de quadrinhos contratados lá. Na verdade, eles tinham um contrato com William Gibson (autor de ficção científica, Neuromancer e Pattern Recognitor) O dia depois em que eu sai de Nova York, eu fiquei bastante decepcionado de ter perdido isso.

Você fez algumas artes conceituais para a adaptação em filme da novel de William Gibson, Neuromancer, certo?

nihei05

Tsutomu Nihei: Sim, eu fiz, embora o projeto do filme (Dirigido por Vincenzo Natali, diretor de Haunter and Splice) não chegou tão longe, tão longe quanto tinha sido produzido.

Então seu mangá é definitivamente uma história de ficção científica, e você mencionou que adora ler histórias de ficção científica. Algum título em particular que você prefere?

Tsutomu Nihei: Qualquer coisa que não coloque muito destaque em drama humano. Eu geralmente prefiro ler histórias que exploram os cenários, e o universo onde a ação toma conta do lugar, que tenha um envolvimento com o mundo que o autor há criado. Eu prefiro esse tipo de história, elas me deixam imersas em um mundo diferente.

Você mencionou mais cedo que o seu desejo era conhecer William Gibson, é ele um dos seus heróis?

Tsutomu Nihei: Sim, isso mesmo. Eu realmente aprecio o seu trabalho.

O que você acha inspirador sobre as suas obras?

Tsutomu Nihei: Isso se contradiz com o que eu disse mais cedo, mas eu gosto de como o Gibson elabora as condições humanas em seus dramas. Eu gosto também das suas ideias, ele sempre explora coisas inovadoras, ideias inovadoras, seus ajustes, e tudo é realmente legal. Eu tento sempre fazer algo similar. Eu noto também que a um monte de criadores estão sempre tentando seguir o que o Gibson faz.

Bem, você tem um monte de seguidores e admiradores também! Muitos de meus amigos que são criadores de quadrinhos estão super empolgados de ter você aqui na Comic-Con

Tsutomu Nihei: Bem… eu estou fazendo isso por 20 anos, então eu acho que comecei a notar que outros criadores por ai fora, também se inspiram no meu estilo de trabalhar (Risadas)

Como você se sente em ter pessoas prestando homenagens ao seu trabalho desse jeito?

Tsutomu Nihei: Eu me sinto muito feliz! Isso faz com que seja muito mais confortante ser um criador de mangá. Por exemplo: quando eu estou trabalhando em uma adaptação  de anime da minha obra.  E eu acho algum artista ou produtor que é também um fã da minha obra. Isso é realmente muito gratificante, faz com que o trabalho do projeto seja muito mais fácil e divertido.

Você já viu este jogo? (NaissanceE, um jogo de PC criado por desenvolvedores indie da Limasse Five –  Eu mostrei o trailer do jogo para o Nihei

Tsutomu Nihei: Eu sabia sobre este jogo, mas eu não sabia que o desenvolvedor do jogo tinha sido influenciado pelo meu trabalho!

Nessa entrevista, Mavros Sedeno, o desenvolvedor do jogo NaissanceE, descreveu que seu jogo é uma mistura entre Portal, Antichamber, 2001: A Space Odyssey, M.C. Escher, e Blame! Eu estou realmente surpreso que nenhum de seus trabalhos foram adaptados para os vídeos games. Eles certamente teriam uma qualidade épica de historia.

Tsutomu Nihei: Eu realmente gosto de jogar vídeo game. Eu espero um dia ter algum jogo baseados em minhas historias.

Naho Yamada (Gerente de licenciamento da Kodansha): Nós estamos tentando.

Que tipo de vídeo games você gosta de jogar? Ou qual jogo em particular você está jogando agora?

Tsutomu Nihei: Elder Scrolls Online. Mas esse tipo de jogos online te tomam bastante tempo, então eles podem ser perigosos (Risadas)

knights_of_sidonia_manga

Pode apostar (Risadas) Tempo é valioso para um artista de mangá, especialmente você que é bem ocupado!

Então vamos voltar para o começo como um criador de mangá. Você também trabalhou como assistente de Tsutomu Takahashi (Criador de Jiraishin, a.k.a. Ice Blade) – Você se lembra de alguma coisa que você aprendeu trabalhando com ele?

Tsutomu Nihei: Eu aprendi que uma das maiores preocupações de um criador de mangá, é o quanto ele pode produzir. Até então, quando eu comecei o meu mangá, eu não estava preocupado com os prazos, eu era bastante devagar quando comecei. Quando eu trabalhei com o Takahashi-sensei. Eu observava como ele trabalhava, e quanto mais os prazo de entrega se aproximava, ele ia aumentando a velocidade de produção. Eu ficava realmente impressionado, mas eu aprendi qual é a diferença entre você desenhar um mangá pra trabalho, e você desenhar um pra você mesmo.

Na criação de um estilo de mangá diferenciado e o desenvolvimento para um anime

Você recentemente se tornou juiz de um concurso de mangás para novatos, certo?

Tsutomu Nihei: Sim, era um concurso patrocinado pela EVENING, uma revista de mangás publicado pela Kodansha.

Você mencionou em entrevistas anteriores, que quando você iniciou a sua carreira, você passou por vários anos se submetendo ao trabalho dos editores, e sendo rejeitado, e tentando de novo. Enquanto você julgava este concurso, você estava em posição de ser o único em estar avaliando os novos artistas, que possivelmente passaram pela mesma coisa que você experimentou no começo de sua carreira. Como você se sentiu?

Tsutomu Nihei: Ganhar esse tipo de concurso, pode mudar a vida de um mangaka novato! Isso é uma grande responsabilidade, e eu senti uma enorme pressão. Então eu fiz questão de ficar um bom tempo lendo cada inscrição. Foi interessante, porque meus comentários e observação sobre cada inscrição era diferente dos editores da Kodansha, que estavam a ler o mesmo mangá. Por exemplo. Tinha uma história que eu não achei muito divertida de se ler, mas o editores acharam ela a mais divertida! Eu não sei o porque das nossas opiniões serem tão diferentes (Risadas)

No começo eu pensei, “Quem sabe eu deveria escutar o que os editores tem a dizer, e então tentar achar uma resposta no meio termo. “Mas eu mudei o que eu pensava, “Oh, esquece sobre isso! (Risadas) Eu decidi escolher só os que eu achei divertido e interessante de ler. Então no final, eu me senti realmente forte sobre o artista e a obra que recebeu o ‘Tsutomo Nihei Award.’

No final, ele realmente se resume a sorte. Quando eu ganhei o prêmio, eu descobri depois que Jiro Taniguchi (criador de A Distant Neighborhood), que estava julgando o concurso este ano, e o meu editor, eram os únicos que realmente estavam puxando o meu trabalho.

Eles te explicaram o que eles acharam de especial em sua obra?

Tsutomu Nihei: Taniguchi-sensei apenas disse que os meus painéis de enquadramento eram excelentes, e não eram muitos elaborados (Risos) Neste dia, eu não sei realmente o que ele viu na minha obra!

(Risadas) Bem, talvez é porque o seu mangá é bastante único e diferente. Eu li um monte de mangás, mas quando eu olho para as suas obra, eu sei que ela é definitivamente desenhada por você e ninguém mais. Isto não é muito comum em um mangá. É muito raro e especial quando um artista desenha em um estilo completamente diferente,

Hiroyuki Seshita: Sim, concordo plenamente. Ele tem um estilo bem diferente. Por isso eu fiz a posposta pra ele, de fazer um anime baseado em seu mangá

nihei07

Oh, conte me sobre isso. Como esse projeto de anime começou

Seshita: A POLYGON PICTURES, no começo, a gente trabalhava apenas com estúdios de filme fora do Japão – não em projetos de animação, mas mais como longa metragens. Com o tempo, Moriya-san, o produtor executivo queria criar algo baseado em uma animação japonesa de mangá. Mas não havia muitos mangás que poderíamos tirar o total proveito com uma animação em CG!

Eu já sabia sobre BLAME! é claro. Mas quando o terceiro volume de Knight of Sidonia foi publicado, eu fiquei muito surpreso que o estilo do Nihei-sensei havia mudado, para algo mais acessível pra os leitores em geral.

É verdade. Eu estava observando os seus mangás ao longo dos anos, e fiquei impressionado do jeito que o seu estilo de arte evoluiu. Ainda é definitivamente uma de suas obras, mas por exemplo, Knight of Sidonia é muito diferente de BLAME!

Tsutomu Nihei: É verdade. Eu intencionalmente mudei o meu estilo de arte.

O que se passa na sua mente quando você faz essas mudanças de estilo na sua arte?

Tsutomu Nihei: Que o meu estilo de arte está evoluindo, ele muda conforme o que eu quero desenhar. Você pode ver com o tempo quando eu desenhei BLAME!, Eu realmente gosto de usar muito preto em minhas artes. Os primeiros capítulos eram especialmente escuros e pretos. Mas com o progresso da história, você percebe que foi deixando de ser tão preto. É um trabalho muito difícil pintar todo o fundo de preto (Risadas) Hoje em dia, eu estou mais para contar a história, mais com os traços.

Sim, eu definitivamente notei isso em Knight of Sidonia! Por que você optou por fazer essa mudança, indo mais em direção ao traço da arte?

Tsutomu Nihei: Quando se tem mais traços do que preto escuro na obra de arte. Eu fico melhor em converter mais informação. Por exemplo, em uma cena particular de BLAME! está desenhado tão escuro, que você dificilmente veria que tem uma escada ali atrás. Quando eu pinto com bastante preto o plano de fundo, fica bastante estiloso, mas cria uma situação onde eu não sou capaz de desenhar o máximo de informação no painel.

Quando eu li o Knight of Sidonia pela primeira vez, eu notei que você tinha mudado o seu estilo de arte. Então eu ouvi que a série seria adaptado para anime, então eu pensei. “Oh, ele mudou o seu estilo de desenhar para ser mais fácil adaptar para um anime?”

Tsutomu Nihei: Ah, você esta certo. Quando eu mudei de trabalho de Biomega para a criação de Knight of Sidonia, na minha cabeça eu queria que fosse algo mais acessível, e fácil para as pessoas lerem e apreciar.

Também o protagonista de Knight of Sidonia, Nagate Tanikaza é muito mais jovem do que o Zoichi Kanoe, o personagem principal de Biomega.

Tsutomu Nihei: BLAME! e Biomega, são séries que pessoalmente eu realmente queria desenhar. Quando eu criei eles, eu não pensei muito sobre quem eu estava criando para a história. Como um criador de mangas, é um prazer criar obras que muitas pessoas gostariam de ler. Então quando eu comecei a desenhar Sidonia, eu mudei a minha postura diante dos meus mangás, e foquei em criar uma história que uma ampla gama de leitores poderia aproveitar.

Você ainda gostaria de criar obras igual Biomega e BLAME! Que refletem mais a sua expressão artística pessoal?

Tsutomu Nihei: (Risadas) Bem, eu estive fazendo esse estilo de trabalho por mais de 15 anos, então eu estou bem mudando um pouco, fazendo algo diferente e mais acessível para os leitores.

Então voltando um pouco nos anos para Nova York, se você tivesse a chance de dizer algo para você mesmo 20 anos no passado, o que você diria?

Eu gostaria de dizer, “Pare de pintar tudo de preto o mais breve possível!” (Risadas) “Você ficara cansado de fazer isso por mais de 20 anos!” Mas provavelmente o meu de 20 anos não quis me escutar!

Qual você acha que é a maior diferença entre o quem você era, e quem você é agora?

Tsutomu Nihei: Eu diria que é a razão pela qual eu desenhava mangás antes, antes eu tinha um razão mais egoísta, eu desenhava pra mim mesmo. Agora eu percebo que eu tenho que desenhar mangás para ser divertidos para outras pessoas lerem.

Seshita: Falando como um fã, quando eu li BLAME! e Biomega, eu me senti como se estive sendo puxado para o mundo do Nihei-sensei. Mas quando eu li Knight of Sidonia, eu me senti como eu, e outros leitores fossem bem mais bem vindos ao mundo do Nihei-sensei. Em Sidonia, há mais cenas como os personagens vivendo no espaço, eles se sentem mais acolhedor e confortável de se estar. Mas talvez você não tenha feito isso intencionalmente ?

Tsutomu Nihei: Não, na verdade não (Risadas)

Criando o mundo de Knight of Sidonia e BLAME! Em animação CG.

blame_5

Então de volta ao anime: Knight of Sidonia, e agora BLAME! Apresenta um monte de mundos imersivos , cheios de arquiteturas arquitetônicas de grande portes e maquinários, que certamente se devem a animação GG

Seshita: Nós estávamos tentando achar uma série de mangás, que poderíamos adaptar com animação em CG, e a obra do Nihei é muito cinematográfica. Seus enquadramento e narrativa se encaixa bem em uma animação como está.

Então Nihei-sensei, você não recebeu nenhuma oferta para adaptar Knight of Sidonia até o terceiro volume publicado. Você propositalmente simplificou o seu traço e a narrativa, para ser mais fácil adaptar para um anime?

Tsutomu Nihei: Quando eu estava desenhando Knights of Sidonia, eu fiz pensando em poder transformar ele em um anime, mas eu não tinha muitas esperanças que realmente isso aconteceria! (Risadas)

Quando a POLYGON PICTURES veio a mim dizendo sobre adaptar Knight of Sidonia em um anime, eu fui visitar os seus estúdios com uma expectativa MUITO baixa! Eu me lembro daquele dia, o Seshita-san estava tão confiante, e passando essa idéia para mim, e me fez pensar “Ok, quem sabe isso pode realmente acontecer. Eu acho que posso confiar neles para fazerem algo bom.”

E no final os resultados superaram as minhas expectativas, eu fiquei completamente feliz da forma que ele saiu.

nihei02

Os mistérios dos mangá de Nihei: O que é um Gauna? E porque ursos?

Seshita: Eu li todas as obras do Nihei, então eu já fiz um monte de perguntas sobre o que ele estava pensando quando criou eles. Nihei-sensei me respondeu, “Oh, eu realmente não pensei muito sobre isso quando eu estava desenhando. (Risadas)

Há! Eu sei como você se sente. Eu estava lendo um monte de obras do Nihei-sensei para me preparar para esta entrevista, e um monte de dúvidas vieram na minha cabeça, sobre os temas mais profundos e as ideias por trás de suas histórias. Mas eu sinto se eu perguntar sobre elas agora, você provavelmente diria, “Uh eu realmente não pensei muito sobre isso quando eu estava desenhando.” (Risadas)

Tsutomu Nihei: Mas é claro, quando eu crio um mangá, eu penso sobre os temas, mas acho que eu estragaria as coisas para os leitores se eu explicar o por que e como as coisas acontecem nas minhas historias. Eu acho que para uma historia de ficção científica ser mais interessante, ela deve ter um certo grau de mistério, onde nem tudo tem uma explicação para os leitores.

Ainda assim, eu gostaria de saber o que é um Gauna? (Nota: São criaturas espaciais gigantes que mudam de forma, e ameaçam a colônia espacial em Knight of Sidonia)

Tsutomu Nihei: Eu posso explicar isso para você, mas eu acho que seria bem mais interessante se as pessoas não soubessem o que exatamente os Gaunas são.

Eu acho que seria interessante porque eles parecem ter um conceito totalmente original para um alienígena.

Tsutomu Nihei: No final de Knight of Sidonia, eu realmente tentei explicar o que os Gaunas são, mas eu pensei que seria muito mais interessante deixar um pouco de mistério sobre eles no ar.

Suas historias recente representa o mau de uma maneira bem interessante. Nos mundos que você cria, a humanidade vive em um ambiente muito estéril, frio, criados pelos homens. Enquanto os vilões são orgânicos, mas eles não são criaturas naturais, eles se parecem mais com uma doença ou um câncer, com uma natureza mais mutante e violada. Em seus trabalhos anteriores como NOISE e BLAME!, os vilões se parecem mais como demônios , ou tipo igual as criaturas de H.R.

Tsutomu Nihei: Os vilões em Knight of Sidonia, eles vem de fora do mundo humano. Então é por isso que eu tentei fazer eles completamente diferentes do que são os personagens humanos.

Ok, isso faz sentido. Mas eu tenho que te fazer esta pergunta… por que você tem ursos em algumas de suas histórias? (Personagens ursos foram apresentando em Biomega e Knight of Sidonia)

Tsutomu Nihei: Ursos!! (Risadas) Aaaahgh… Hm. Hm.

nihei06

Eu não sou contra em colocar ursos em suas histórias, mas eu estava me perguntando por que deles serem um motivo recorrente nem suas obras recentes.

Tsutomu Nihei: Eles não são fofos, mas ursos têm rostos expressivos. (Pausa) Eu não posso dizer a razão do porque eu desenho ursos… é um tipo de segredo. (Risadas)

(Nota: Em seu painel na SDCC, Nihei foi questionado novamente, “Por que ursos? ”Ele respondeu então? Ele riu, balançou a cabeça, e disse, “Eles não tinham nenhum significado no final”)

Em um monte de suas obras, sempre tem páginas e páginas sem qualquer dialogo ou narração, ou explicação do que está acontecendo. Mas eu entendo o seu ponto – Isso deixa uma oportunidade dos leitores sentirem a tensão, a emoção te de ter algo misterioso se desenvolvendo diante deles.

Seshita: Quando nos adaptamos Knight of Sidonia para uma série animada, nós tentamos fazer a historia ser fácil de entender. Talvez por causa disso, a série se tornou mais popular e chegou a novos fãs que não leram o mangá antes de ver o anime. Ao mesmo tempo, houve um pouco de tensão, porque talvez isso deixou a série menos interessante, menos misteriosa.

Eu li o mangá de Knight of Sidonia primeiro, e depois eu fui assistir o anime. Quando eu estava assistindo o anime, eu pensei, “Oh! A histria faz mais sentido agora!” (Risadas)

Tsutomu Nihei: Eu pensei a mesma coisa! (Risadas)

Seshita: Eu acho que esse é um dos pontos forte das obras do Nihei-sensei. Eu posso voltar a ler BLAME! e eu vou achar pequenos detalhes que eu não tinha visto antes, como pessoas que eu não percebi no plano de fundo.

Tsutomu Nihei: (Risadas) Quando eu estava desenhando BLAME! eu tentei ver o qual pequeno eu conseguia desenhar as coisas! Vê aqui? Este pequeno cara atravessando a passarela? (aponta para a pagina de BLAME!)

Seshita: No caso de BLAME!. eu tentei incorporar os aspectos de suas arte no anime. Mas todos os animadores da minha equipe acharam que eu era louco por tentar algo assim. Eu pedia pra animarem um edifício de forma ENORME, e ainda colocarem pessoas minúsculas andando nesses edifícios. (Risadas)

Heh! Eu posso imaginar todos os animadores de frente para os monitores de seus computadores reclamando, “Maldito seja Nihei-sensei!” (Todos riem)

Seshita: É como um filme muito caro feito por fãs! Quando eu fiz a proposta para Knight of Sidonia, eu coloquei o meu próprio dinheiro para obter uma demo real feita. O mesmo vale para BLAME!

É um trabalho feito por amor, não é?

Seshita: Definitivamente é!

Tsutomu Nihei: Nós estamos agora trabalhando em uma nova animação para BLAME! que sairá em 2017. A história retratada no anime vai ser reconstruída, e revisada a partir do mangá original

Seshita: O Nihei-sensei está realmente envolvido na produção do anime de BLAME! – muito mais do que a maioria dos mangakas se envolvem nas produções das suas obras em anime. Eu não tenho certeza se eu deveria dizer isso na frente dos seus editores e publicadores, mas eu me preocupo do Nihei-sensei estar a gastar muito tempo trabalhando no anime, que isso pode estar afetando o seu trabalho no mangá! (Risadas) Ele vem muito ao escritório da Polygon Studios. Ele nos ajuda com a história, ele adiciona um monte de novos elementos na animação. Se você olhar para a nova edição Master de BLAME!, você pode perceber como ele desenhou as poses dos personagem em corpo inteiro, na frente e nos versos das capas, há um monte de detalhes nas suas roupas.

Então nós veremos a história de BLAME! sendo recontada de uma nova maneira?

Seshita: O básico da história e do mundo continuam o mesmo, mas junto com o Nihei-sensei, nós criamos uma nova estrutura para a história, colocando mais foco no drama humano. Normalmente, quando um estúdio faz uma proposta para o criador do mangá e a publicadora, eles pedem para fazer algumas mudanças na história para deixá-la mais popular. Mas nesse caso, esses tipos de mudança estão sendo feitos pelo próprio Nihei-sensei. Isto é muito incomum.

Ele poderia ter adicionado esse tipo de elemento quando ele estava desenhando a história antes, mas ele não fez, Então esta é a chance dele expandir ainda mais o que já foi colocado na historia.

Tsutomu Nihei: Fazem mais de 20 anos, naquele tempo, eu não era habilidoso o suficiente para contar uma história com este tipo de drama. Mas agora, com a tecnologia que temos disponível, eu posso contar esta mesma historia de uma maneira diferente.

(Nota: No seu painel na SDCC, Nihei revelou esboços mostrando a diferença entre os personagens da obra original tirada do mangá de BLAME! , onde houve uma mudança significativa com a versão do anime.)

Eu adoraria assistir esse anime em uma realidade virtual!

Nihei e Seshita: Ahh, sim. Isso seria ótimo.

Twiter oficial de Tsutomu Nihei: @tsutomu_nihei

About The Author

Amante de Animes, mangás e Light Novels, e um completo viciado em JRPG. Sou estudante de Inglês e Japonês, com o objetivo de vida de se tornar um tradutor um dia. Faço diagramação de mangás, e estou iniciando agora como redator, Tenho o sonho de um dia morar no Japão e conhecer mais ainda da cultura Oriental, a qual sou apaixonado

Related Posts